Mensagens Rosacrucianas



 AS TRÊS PENEIRAS

Numa pequena casa, no subúrbio, um homem cuidava de sua horta, nos fundos do quintal.

Chega da escola um filho, troca o uniforme, vai ajudar ao pai e conversar. Entre uma conversa e outra, o filho conta os casos da escola.

– Pai, o senhor sabe o que me contaram a respeito do Chiquinho?

– Espere um pouco, interrompeu o pai. O que você vai me contar já passou pelas três peneiras de que lhe falei semana passada?

– Bem, não tenho muita certeza, disse o garoto um pouco embaraçado.

– Vamos então passar a história pela primeira peneira: a Peneira da Verdade. 

– Meu filho, você tem certeza de que o fato é absolutamente verdadeiro?

– Eu não sei. Só sei o que me contaram, papai.

– Então, você não tem certeza. Sua história escoou pelos furos da primeira peneira. Vejamos a segunda peneira: a Peneira da Bondade.

– É alguma coisa que você gostaria que os outros dissessem a seu respeito, meu filho?

– Claro que não, papai!

– A história acabou de escoar pelos furos da segunda peneira. Vamos a terceira peneira: a Peneira da Necessidade.

– Você acha mesmo que é necessário passar adiante essa história sobre o Chiquinho?

– Não papai, o senhor tem razão. Eu não imaginava que passando-a pelas três peneiras não iria sobrar nada dela. Com a sua ajuda vou procurar não mais esquecer disso quando tiver um comentário sobre alguém.

Moral da história: Se as pessoas usassem desses critérios, seriam mais felizes e usariam seus esforços e talentos em outras atividades, antes de obedecer ao impulso de simplesmente passá-los adiante.

* Baseado no conto de As três peneiras de Sócrates.

                                                                             R+                    

última Mensagem

Mensagem do dia Magno

  Rio de Janeiro, 27 de Janeiro de 2024  - Ano R+C   644 Profunda reverência e amor ao Supremo Arquiteto do Universo; Saudações e votos de s...